Amoooo!!!!

Feminino Plural é uma daquelas festas típicas de interior. As pessoas se arrumam, uma “grande atração” é trazida da civilização e prêmios são distribuídos para as madames da vez. Beijinho, beijinho, foto, foto e muita comida e bebida!!

A festa é excelente! A princípio, se pensarmos que é um “prêmio pago” e a festa é dum colunista social… Sei lá… Mas, deixe de lado o preconceito, porque é tudo muito bom. O buffet Damian é ótimo, a festa é animada, o Luiz é uma simpatia, a estatueta é bem bonitinha – amei a dourada! Quero uma!! – e é ótimo ter onde usar postiços gigantes. E, gente, Elke Maravilha!

Ela é ótima. Simpaticíssima! Amei a grosseria: “é ótimo poder entregar prêmios para pessoas… Ah, só mulheres. Mas, por que? Homens são melhores do que mulheres em tudo! Tá, vamos parar de pensar em gênero e tentar ser só gente”.

A Elke tem cheiro de guardado, mas é linda, apesar do exagero, tem pele boa e é muito grande! E me lembra minha infância, de forma positiva. E adolescência. Eu usava pó de arroz da Elke, porque era o único no meu tom de pele! E era muito bom!

Para não fugir do protocolo, me arrumei. Repeti o longo do casório da Júlia e fiz a make “diabinha” – só que em versão dourada – com cílios postiços, indecentemente grandes, da Sugarpill. Que coisa pesada!! Parecia que meus olhos estavam de boné! E como eram tão grandes, foi bem difícil colocar. Eles não se juntaram aos meus, de verdade, de jeito nenhum. Mas me diverti!

Babi, eu e Maguinha

E, para não quebrar a tradição, foto do marido e a atração da noite: Elke!!

Só duas críticas a fazer:

1. Povo itaunense, não poupem aplausos. Eu sei, cansa ficar batendo palmas, mas é tão rude não aplaudir um homenageado. Não custa nada ser gentil. Vamos fazer uma forcinha na próxima vez?! Sim?!

2. Tem que ter um roteiro para as participantes. A mocinha, ao meu lado, na mesa de homenageados, estava louca para fazer pipi. Como não sabemos quando seremos chamadas, a coitada acabou sendo chamada quando estava a caminho do banheiro. Bem chato…

De resto, amei tudo!

Coisa de Novela. Ou: Coisa Nossa

Neste exato momento, minha vidinha está tão complexa que penso em vender os direitos para a Globo. Aposto que daria uma novela bem mais divertida do que estas que estão por aí. É uma história com sexo, intrigas, traição! Pena que meu advogado não me deixa contá-la aqui. Senão, né, como fica a venda dos direitos para a TV?!

Amanhã tem Feminino Plural e eu vou!! Adoro a festa! Achava essa coisa de premiação uma cafonice. Ainda acho, mas é ótimo poder cantar “Coisa Nossa” com a Elke Maravilha em pessoa. Se bem que ela é do tempo do “Lá lalalá lá lá”. Ah! Quem liga?! O importante é que ensaiamos as duas versões esta semana toda. Dá-lhe:

Pena… Não consegui nenhuma abertura, boa, com a Elke…

Para quem é novo demais para saber quem é a Elke (oi, Barbarella!!), ei-la:

P.S.: Maguinha, oferece um site para ela?! Tá bom, não! Espia!

Lista

Estou com uma enxaqueca do cão, desde sábado. Enquanto o Ângelo canta – e mal – eu penso: “o que eu precisaria para ser feliz?”

1. Ser burra. Linda, muito linda, mas burra, muito burra. Como não dá, próxima!

2. Ser rica. Muito, muito rica! Próxima!

3. Ficar surda. Tenho inveja dos surdos.Não escutar é quase sempre uma bênção…

Achei que iria ser fácil fazer esta lista, mas pensar dói…

Hunf… Desisto de tentar ser feliz.

Protetor auricular 3M

Enquanto o marido e a vizinha reclamam dos galos, eu durmo. Durmo com cachorros latindo, com gatos arranhando a porta. Com festa na casa do vizinho. Com ronco – moderado – do marido. Durmo, porque uso protetor auricular 3M todas as noites. A princípio, eu detestava, pois incomoda, mas, agora, não durmo sem. Mesmo. Se eu não tiver um à mão, é noite em claro por causa de qualquer grilinho.

Meu melhor amigo…

Führer

Eu entendo Hitler. Entendo Fidel Castro. Entendo Hugo Chavez. Entendo Saddam Hussein. Entendo. E entender não significa que concordo com decisões e atos tomados por eles. Sei que o poder vicia, inebria e torna o poderoso estúpido. Se ele já tiver um pé no sadismo, pior para os outros.

Sou uma boa pessoa. Acredito ser justa. Mas não tapo o sol com a peneira. A humanidade é cruel com os diferentes, com os opositores, com os “inimigos” desde antes da roda. E assim temos caminhado.

Dito isso, deixo claro que não tenho, particularmente, nada contra judeus. Assim como não tenho problema com nenhum outro povo ou religião. Mas o holocausto não é só sobre os judeus. Hitler foi cruel com judeus, homossexuais, comunistas, ciganos, eslavos, deficientes motores, deficientes mentais, prisioneiros de guerra soviéticos, membros da elite intelectual de países do Leste Europeu, além de ativistas políticos, Testemunhas de Jeová, alguns sacerdotes católicos, alguns mórmons, sindicalistas e criminosos comuns. Hitler foi cruel. Mas, vamos ser sinceros, o ódio a ele só existe porque ele perdeu a guerra. Se tivesse ganhado, ele seria um herói. Alguns, claro, o abominariam, mas a maioria estúpida o veria como um vencedor, um líder.

Eu já disse, aqui, não defendo o preconceito, mas aceito o preconceito como ignorância. Ninguém é obrigado a ser inteligente, culto ou esperto. Então, se Mel Gibson, John Galliano ou Lars Von Trier não gostam de judeus e se manifestam publicamente a respeito, fazer o quê?! Na minha humilde opinião, repreender a indelicadeza ou dar de ombros e, não, criar tanto caso em torno do assunto. Mel é um ótimo ator. Galliano é um gênio criativo. Von Trier é um grande cineasta. Bani-los de nossas vidas não pode ser desejável, aceitável.

Agora, sabe o que é inaceitável mesmo? Neonazista brasileiro. Coisa mais estúpida!

Desperdício de sábado

Ontem, dormi mal, tive dor de cabeça, mau humor e fiz brownie. Preciso de uma boa receita de brownie, porque esta que eu tirei do Tudo Gostoso era a mais festejada e não levava fermento. Onde já se viu bolo sem fermento?! Fiz, pus fermento. Mesmo assim, ficou nhé… Não amei…

Como minha memória anda uma meleca e ainda não havia encontrado uma boa função para o Facebook, fui lá testar minhas lembranças digitando nomes de antigos colegas de colégio/faculdades. Estranho foi lembrar de TUDO de coleguinhas de primário e nem me lembrar do primeiro nome da melhor amiga de PUC e sobrenome de ex.

Mais estranho: uma odiosa colega do primário é 2 anos e 2 meses mais nova que eu. Uma criança de 5 anos na primeira série é meio que bizarro. Mentir idade no Facebook é totalmente bizarro. Ah, Alexandra…

No fim, acho que me lembrei de todo mundo que valia a pena lembrar – e de alguns que não – e convidei uma porção de pessoas para serem minhas amigas. Arriscado, porque sei que muita gente nem se lembra de mim. Sou ruiva, tenho sobrenomes estrangeiros, mas não sou notável… E tenho pavor de rejeição… E, mesmo se todos eles aceitarem a “amizade”, não chegarei a 5o amigos!

Foi interessante ver quanta gente bem sucedida está entre meus ex-amigos e colegas. Mais interessante é notar os loosers e os funcionários públicos. A parte chata: descobrir que pessoas que eu gostava bem são um porre.

E foi assim que gastei um sábado quase todo no Facebook. E ainda chamo os outros de loosers