E por falar em Fiasco…

O que aparece no celular da mocinha do clipe do post anterior é o seguinte texto:

THE L.A.S.E.R.S. MANIFESTO

To Every Man, Woman & Child…

1. We Want An End To The Glamorization Of Negativity In The Media.

2. We Want An End To Status Symbols Dictating Our Worth As Individuals.

3. We Want A Meaningful And Universal Education System.

4. We Want Substance In The Place Of Popularity.

5. We Will Not Compromise Who We Are To Be Accepted By The Crowd.

6. We Want The Invisible Walls That Separate By Wealth, Race & Class To Be Torn Down.

7. We Want To Think Our Own Thoughts.

8. We Will Be Responsible For Our Environment.

9. We Want Clarity & Truth From Our Elected Officials Or They Should Move Aside.

10. We Want Love Not Lies.

11. We Want An End To All Wars. Foreign & Domestic (Violence).

12. We Want An End To The Processed Culture Of Exploitation, Over-Consumption & Waste.

13. We Want Knowledge, Understanding & Peace.

14. WE WILL NOT LOSE BECAUSE WE ARE NOT LOSERS, WE ARE LASERS!!!

Lasers are the opposite of losers. Lasers are shining beams of light that burn through the darkness of ignorance. Lasers shed light on injustice and inequality. Losers stand by and let things happen. Lasers act and shape their own destinies. Lasers find meaning and direction in the mysteries all around them. Lasers stand for love and compassion. Lasers stand for peace. Lasers stand for progression. Lasers are revolutionary.

Lasers Are The Future.

We’re Not Losers…We Are L.A.S.E.R.S.!!!

Love Always Shines Every-time Remember 2 Smile!

-LF (Lupe Fiasco)


Tradução? Clique aí. Continuar lendo

Me calar

A Adri Mori publicou no mural dela:”Dois sentimentos que me fazem abrir mão da liberdade de expressão: amor e compaixão.”

Eu, por amor e por compaixão, falo mais suavemente, mas não me calo.

Sigo com o Fiasco:”I think that all the silence is worse than all the violence”.

E só me calo por processo judicial – só até sair o veredito?! Ou, dependendo do caso, por muita, mas muita bufunfa. Sim, eu tenho meu preço. Caso contrário, exerço meu direito de me expressar livremente, sobre o que quer que seja. Até sobre futebol, religião e política.

Não entendeu a letra ou quer cantar junto? Clique aqui.

Velha – mas passa

Minha caixa postal do Gmail está lotando. Não quero pagar para aumentar o espaço e estou com preguiça de migrar para outra caixa. Então, fui ver o que dá para apagar – isso, porque eu estava com preguiça de pedir favor. Voltei a 2006, começo de vida em Itaúna, começo de agência e… Outra pessoa. Como pude mudar tanto em 5 anos? A essência é a mesma, claro. Continuo rabugenta, implicante, reclamona, crítica, chata, encrenqueira… Mas perdi o humor, a fleuma, a leveza…

Eu vivia na casa da minha avó, em BH, até vir para cá. A vida era razoavelmente fácil, sem grandes obrigações, compromissos, responsabilidades. E com muito mimo. Virar adulta não foi fácil. Detestei, tanto, que custei a começar: tenho 37. Sou – mais ou menos – adulta há 5 anos. E até vir para Itaúna, eu, a Laís, a Rita e a Alessandra costumávamos ir, aos sábados, à Savassi, bater perna, fofocar, comer no 3 Corações e comprar umas bobagenzinhas. E era bom.

Virar adulta significou deixar de ser mimada para ter que mimar. Passar a ter grandes obrigações, compromissos, responsabilidades. Deixar de ir à Savassi, nunca mais ver as meninas. Por isso, continuo rabugenta, implicante, reclamona, crítica, chata, encrenqueira, e acrescento: amarga.

Deve ser por isso que envelhecer é tão difícil. Não são as rugas, a flacidez, os cabelos brancos, mas a obrigação de ser séria e todo este peso que impõem sobre nossos ombros. Sem a leveza, as articulações travam, perde-se o jogo de cintura, o ânimo de lutar pelo que é certo, a vontade de ser melhor. Acostuma-se com a rotina e tem-se preguiça de viver. Azeda-se. Corrompe-se. Próximo passo: chacolhar a bengala, enquanto grito com as crianças na pracinha. Putz! Tô quase lá…

Para o “quase lá” não passar de “quase”, eu tenho gatos, cachorro, galinhas e estou até empolgada com a vinda do Gustavo (ou da Marina). Porque a brincadeira, a renovação, a esperança e o recomeço tem, sempre, que estar presentes na vida da gente. Tudo isso é combustível, é lubrificante para as articulações, é contra-peso para as obrigações impostas.

E receber, da San Rio, o álbum de figurinhas da Hello Kitty, com todas as figurinhas (!!!) é a cereja do bolo num dia em que decidi parar de envelhecer! Amei!!

Bora lá ser mais leve!! Ser mais doce!

Tô bege…

Uma pessoa veiculou um vídeo anti-“kit gay”, no Facebook e outras mídias sociais e pede por divulgação. É um amontoado de asneiras e imbecilidades que eu poderia até postar aqui, mas, não, não vou dar “ibope” para esse desmiolado.Vou comentar sem divulgar, certo?!

Me impressiona a quantidade de bobagens, tipo: o cara se intitula como “O Mascarado Polêmico”. Então é isso? Ele quer polemizar sem dar a cara a bater?! Isso, para mim, se chama covardia.

Outra: “explanação de sexo na escola só influenciaria na promiscuidade”. Estranho, tive aula de educação sexual dos 11 aos 12 e nunca fui promíscua. Será que faltei a alguma aula importante?

E tem mais: “na verdade quem sempre sofreu bullying na escola foi o gordo, o baixinho. E na verdade, quem sempre sofreu preconceito foi o preto.” Mesmo? Só eles?

“Os políticos só estão de olho no voto desta crescente massa midiática dos GLS.” “Esses merda estão gastando dinheiro público para influenciar teu filho pra virar proutro lado.” “Os garotinho vão aparecer com a cabeça manipulada de que ser gay é normal”.

Com tantas pérolas, o MP poderia fazer um colar.

Ser gay ou gordo ou preto é tão normal quanto não ser.

Ser preconceituoso, ignorante, imbecil também é normal. Mas é bom ter vergonha disso, em vez de divulgar…

Cada coisa que eu vejo…

Em Los Angeles

Você gosta de Lime Crime? Estará em Los Angeles nos dias 25 e 26 de junho? Então, dê um pulinho no Pasadena Convention Center – 300 East Green Street, em Pasadena, para apoveitar a feira IMATS, comprar Lime Crime com 40% de desconto, conhecer a Doe Deere, ganhar dicas de maquiagem dela e, ainda, um poster!!

Ai… Quando eu estava em NY, a Doe tava lá, mas era num lugar tão longe, umas duas horas de trem e, ainda, um ônibus. Deu preguiça. Achei que eu estava velha para tietar… Agora, me arrependo um pouco.

Então, amiga, não se arrependa! Vá ver a Doe!!

O que é pior?!

Acho que eu nunca avaliei o resultado de uma enquete. Possivelmente, depois de um mês de pergunta, não me importo mais com a resposta. Mas, obrigada por responder, mesmo assim.

Desta vez, resolvi avaliar o resultado, porque muita gente votou – 57 votantes é um absurdo por aqui! E porque meu ponto de vista é outro.

A pergunta:

O que é pior para uma mulher?

As respostas:

Ser burra – 30%

Ser gorda – 25%

Ser encalhada – 21%

Ser chata – 16%

Ser feia – 8%

 

De fato, minha ordem pessoal é exatamente a inversa das votantes.

“Ser feia” é, para mim, o pior para uma mulher. Porque as pessoas nos julgam pela aparência. Porque, sendo feia, a mulher tem menos chance de ser segura de si. E feiúra é difícil de disfarçar. Já viu gente feia bancando esquisita/alternativa?! Preguiça que dá… Quando a mulher é feia, ela tem obrigação moral de ser inteligente e simpática. Se é feia e tem namorado, e o cara é gato, é até chato! Todo mundo olha, comenta, rebaixa a moça, o cara. Homem feio pode ser charmoso. Mulher feia é só feia. Acho triste… Acho o pior…

“Ser chata” ficou em quarto. Ser chata é ruim para quem é e para quem convive. Acho péssimo.

“Ser encalhada” ficou em terceiro. Concordo. Se ninguém te quer, por que logo eu vou querer?! E mulher encalhada tem o costume de ficar amarga, difícil de lidar, quando não vira grudenta e desesperada.

“Ser gorda” é o segundo pior, na opinião de vocês. Discordo, de novo. Ser gorda só é problema para quem quer. Se não gosta de ser gorda, emagreça. Deixar de ser gorda é mais fácil do que deixar de ser burra.

“Ser burra” ganhou. Mas, na minha opinião, ser burra é pior só para os outros. As pessoas burras sequer reconhecem este defeito em si mesmas. Mulheres burras se acham espertas. Juro! Agora, a burra TEM que ser bonita! Senão, como diria Ed Motta, o Rei da Cocada Preta, não dá!

 

Rapidíssima do “keyfrase”

Falando em keyfrases, fiquei de responder a algumas perguntas dos comentários e me perdi. Como algumas são recorrentes, vale um micropost:

• Zoya Nail Polish: nunca comprei, nunca usei, mas sou louca pela marca, mesmo assim. Não encontrei lojas que vendam para o Brasil, mas a Daniele, do Unha Bonita, comprou os dela no E-Bay.

• Casquetes e voiletes em BH: li uma matéria no Estado de Minas, ano passado, guardei, fiquei de pesquisar e postar, mas perdi o jornal. Como não assino mais o jornal, não tenho acesso online… Sorry. Se eu achar – vai que… – posto aqui.

Por agora, é só.

P.S.: por coincidência, acabei de postar esse e chegou um comentário sobre Zoya, em outro post. Não conheço a loja, mas fica a dica:

“Zoya tem na MbeautyLounge.
É uma loja excelente. 100% segura, tudo ok.

A Mbeautylounge tem 600 cores de OPI, tem Color Club, Zoya, se não me engano, Essie também.
Frete legal e tudo vem muito bem embalado e certinho.

Bjos.

Angel”