RSS Feed

setembro, 2011

  1. Lime Crime com 55% de Desconto!!

    30 de setembro de 2011

    Olha só, não faço ideia de horário da costa do Pacífico, mas entre meia noite e 23h30 de amanhã, hora de lá, a Lime Crime, em homenagem às suas mais de 55 mil fãs no Facebok, concederá desconto incrível na linha para olhos. Se você sempre quis experimentar a marca, a hora é agora. Clica no banner aí do lado, escolha suas sombras e/ou primer e não se esqueça de digitar o código da promoção, que é: ICANTDRIVE55, no momento de fechar a compra. Aí, é ter paciência e aguardar, porque, com correios em greve, o trem demora! Mas, te digo: vale a pena esperar!!


  2. Degradação

    Ou “Como o ser humano pode descer tão baixo”*.

    A Gretchen foi “flagrada” atendendo mesas na Flórida. Pensei: “sério? Saiu do Brasil para ser garçonete?” Passado o susto, comentei com o marido: “lá fora é um emprego digno. No Brasil, vão falar que é degradante”. Pensamento confirmado pelos inúmeros tuítes ofensivos enviados a ela. Mas por que?!

    Ela foi rainha do bumbum, cantora sem saber cantar, mãe da Thammy, atriz pornô sem saber atuar ou trepar, tentou ser prefeita. Ou seja, mais fundo do poço do que isso tudo, impossível. Diante disso, ser garçonete é uma tremenda evolução. É deixar de lado o dito “trabalho fácil” para trabalhar duro e como uma pessoa qualquer que tem contas a pagar. Louvável.

    O que me surpreende, e nem sei se deveria, é que num país em que se ser corrupto é normal, atender mesas seja imoral.

    Achei ótimas as respostas dela no Twitter – na medida do possível -, porque o bom humor esteve presente, apesar do preconceito e da estupidez dos comentários. E acreditei muito que ela está evoluindo como pessoa. Torço por ela, de verdade. E até sinto alguma admiração. E inveja… Queria atender mesas na Flórida… Melhor do que ser empresária no Brasil. E mais digno.

    *A baixaria, em questão, é dos imbecis que se acham melhores do que ela, porque são sustentados pelos pais. Ela, acredito, está bem acima disso.


  3. Catlovers Day

    29 de setembro de 2011

    Tem dia para tudo, agora. Mas, dia de amar os gatos é todo dia. E, como disse lindamente a Anita:

    “Gatos deveriam vir na cesta básica… trazem paz e alegria pra gente e pra casa da gente… ou melhor, pra casa deles! rs
    Posso estar chateada, triste, puta da vida … que eles chegam miando, se esfregando, brincando.
    Possuem o dom de deixar tudo de ruim pra lá …
    Só querem em troca é uma bolinha, um cafuné, comida e uma caixinha limpa!
    É muito amor em seres tão pequenos…”

    Posso dizer, sem medo, que só entendi o AMOR no dia em que conheci meu primeiro gato.


  4. Bolo!!

    Hoje é aniversário da Maguinha e, atendendo a pedidos, tivemos pastéis e bolo.

    Os pastéis ficaram por conta da Cida. Não me dou com fritura. O bolo, eu fiz.

    Escolhi a receita me baseando no fato de que grávida costuma ter azia e farinha de trigo dá azia. Fiz, então, bolo sem farinha. E deu certo!!

    Segui a seguinte receita do Tudo Gostoso:

    BOLO DE CHOCOLATE SEM FARINHA

    Ingredientes:

    7 ovos
    7 colheres (sopa) de chocolate em pó
    7 colheres (sopa) de açúcar – usei mascavo
    4 colheres (sopa) de óleo
    2 colheres (sopa) de manteiga
    50g (pacote pequeno) de coco ralado
    1 colher (sopa) cheia de fermento em pó

    Cobertura de brigadeiro mole:

    1 lata de leite condensado
    2 colheres (sopa) de manteiga
    7 colheres (sopa) de chocolate em pó
    50ml de leite

    Modo de Preparo:

    Bata tudo, menos o fermento, no liquidificador, e só depois de bem batido, acrescente o fermento e misture um pouco. Unte uma assadeira média com manteiga e farinha. Leve ao forno a 180º para assar por aproximadamente 25 minutos.

    Recheio:

    Misture tudo e leve ao fogo até engrossar. Despejar sobre o bolo assado.

    Informações Adicionais:

    Não desenforme se fizer o bolo num refratário grande (cerca de 40×25), pois não dará certo e ele vai se despedaçar.

    Daria para desenformar, mas não me arrisquei. Pus marshmallow por cima, sobre o brigadeiro quente, e ficou muito bom!!

    O bolo é bem gostoso, mal nota-se o coco – caso alguém não goste – e é bem molhadinho! Amei!!


  5. Lime Crime

    Duas dicas para quem gosta da Lime Crime e tem Facebook:

    1- Curtindo e compartilhando o seguinte link (na foto) no Facebook, ficamos cada vez mais próximas de ter um batom dourado intenso para as festas de fim de ano:

    2- Para comemorar os 55 mil fãs no Facebook, a Lime Crime estará dando desconto de 55% nas compras de sombras e primer. Mas só no dia 1º de outubro, sábado, das 00h00 às 23h30 (horário de Los Angeles)! O código de desconto será lançado no Facebook da marca na sexta, à tarde, mas eu posto aqui. Então, dia 1º, clica no banner da Tia Pi e boas compras!!


  6. Vontade que dá…

    25 de setembro de 2011

    … E passa.

    Quantas vezes você já se pegou desejando muito alguma coisa que, se procurar direitinho no meio da sua tralha toda, você já tem igual ou semelhante e nem usa?! Me acontece demais. Principalmente com maquiagem e acessórios. E, no fim, se eu tenho dinheiro no momento em que a vontade vem, começo a acumular coisas. Se não tenho, dói e passa.

    Tenho coisas demais. Depois que emagreci, percebi que tenho roupas demais. O inverno veio e foi e não usei nem 1/3 das roupas de frio. Uma das jaquetas que mais usei este ano foi comprada há três anos e só saiu para passear agora. Estava esquecida num canto de um dos armários. Meu kilt lindo saiu do armário, pela última vez, quando mudei de casa. Não o uso há uns 9 anos…

    Não vou brincar de “Esquadrão da Moda” e me livrar do que está sem uso e comprar tudo novo. Bobagem. Está sem uso, mas está em excelentes condições e será usado, um dia. Porque moda é nonsense e não sigo tendências. Roupa que veste bem meu corpo continuará assim enquanto o corpo continuar o mesmo. E, com a idade, a gente vai adaptando a forma de vestir. E, cá entre nós, não vou começar a usar tailleur assim que fizer 40 anos, mas é de jeito nenhum! Acho lindo e chique, mas não me representa.

    Por enquanto, arrumei um armário de montar, no Sam’s Club, que abriga minhas bolsas, chapéus, sapatos de festa e as roupas de uso esporádico. Está pequeno para tanta coisa, mas não pretendo comprar mais nada por um bom tempo. Bom… Comprei uns Jelly Pong Pong e quero muito os batons novos da Lime Crime… E acredito que preciso de uns acessórios de festa. Coisas para cabelo e brincos e colares. Ontem, precisei e tive que improvisar… A gente se pega arranjando necessidades, né?!

    Quer saber? Se acontecer um desejo absurdo de comprar, vou começar a acumular água de garrafa, comida de lata e pilhas. 2012 está chegando e, se eu sobreviver, vou precisar de um despensa cheia! Se eu não sobreviver… Fica para um próximo post!

     


  7. Brownie

    Vontade louca de comer bobagem e muitas avelãs se perdendo na geladeira. Juntei o útil ao agradável e fiz brownie. Ficou perfeito!

    Eis a receita:

    Ingredientes:

    6 colheres (sopa) bem cheias de manteiga em temperatura ambiente
    3/4 xícara de chocolate em pó
    1 + 1/4 xícara de farinha de trigo
    1 xícara de açúcar cristal
    4 ovos
    1 colheres (chá) de essência de baunilha ou conhaque
    200g de chocolate meio amargo picado
    1 xícara de nozes picadas (ou castanhas de caju, avelãs, amêndoas, etc)
    1 colher (sopa) de fermento em pó

    Modo de Preparo:

    Misture  o açúcar com os ovos. Junte a manteiga, sem bater. Incorpore o chocolate, a farinha e a essência e misture. Quando a massa estiver lisa, acrescente as nozes, o chocolate picado e o fermento e misture delicadamente.
    Colocar em uma assadeira untada e enfarinhada e leve ao forno a 180º por 30 minutos. Sirva quente com sorvete!!


  8. Amar é…

    22 de setembro de 2011

    Acho relacionamento afetivo um trem esquisito. Nunca gostei, nunca me acostumei, nunca quis… Esta última parte é mentira, porque sempre quis me encaixar, só não via como.

    Passei minha adolescência amando platonicamente. Eu queria ser uma mocinha normal que beija, abraça, amassa e chega ao fim, mas não queria tanto a ponto de fazer. Preferia sonhar. Em parte, foi bom, porque não me meti em encrenca. Em parte, foi péssimo, porque perdi oportunidades únicas. Ah, Diogo…

    Cresci, beijei, abracei, amassei e não gostei. Aí, aos 19, encontrei um oponente digno. Ele era estético – não era bonito – e interessante. Lia livros, citava Drummond, não fumava – nem maconha -, bebia como um Bukowski e eu achei tudo lindo! E era. Eu o queria, ele me queria. Perfeito?! Seria, se eu soubesse o que fazer num relacionamento, mas eu não fazia ideia. Eu pirei. Eu não imaginava como lidar com homem. Eu não sabia como ser parceira/namorada/ficante/amante. Ele percebeu e me mandou passear. Mas eu empaquei.

    Foi humilhante. Eu implorei por atenção. Ele não dava. Quando eu melhorava, ele se voltava para mim e dizia: “mudou o cabelo”. Eu recaía. Ele ficava com meninas na minha frente e eu sofria. Eu me aproximava de outro cara qualquer, ele o afastava. Nunca fui tão indefesa e vulnerável.

    Como eu superei? Não superei. Pensar no cara ainda faz meu coração bater estranho. Não o amo mais. Nem nunca amei. Mas ele foi o começo de tudo e tudo foi diferente e sem jeito depois dele. Ninguém me beijou como ele, ninguém fez meus pés pararem de doer por presença, ninguém me deixou tão burra e miserável. E olha que tentaram…

    Fiz papel de boba outras vezes, claro. Sofri à toa, corri atrás mesmo sem querer o cara, fiz drama e escrevi cartas de amor. Mas faz parte, não faz? O importante é que aprendi tanto que estou num relacionamento há 8 anos e estou bem. E, mesmo achando estranho, hoje não troco meu marido pela vida de solteira. Aprendi a amar de forma calma e desapegada e, cá entre nós, é a única forma de amor – ao outro – que existe.


  9. Enquete

    21 de setembro de 2011

    Ei! Deixa de ser preguiçosa e dê seu voto na enquete, ali do lado, logo abaixo das bolsas da Betty Boop!

    Se você, assim como eu, é obrigada a assistir coisas como ” Vôo da morte”, “Dia dos mortos”, “Madrugada dos mortos”, “Zumbilândia”,  “Todo mundo quase morto” e outros filmes incríveis de zumbi – se bem que os dois últimos são muito bons! – já deve ter sua resposta pronta. Se não, pense que, em 2012, o mundo acabará e é bom já saber se vai querer sobreviver para repovoar a Terra ou se vai encostar e esperar o fim.

    Quero saber sua opinião!


  10. Convencida?!

    Edgard Allan Poe, no livro Contos da Escuridão, escreveu, en passant, uma frase que domina minha vida: “convencido eu mesmo, não procuro convencer os demais”. Por isso, de carapuça na cabeça, eu digo: acostume-se com meu novo cabelo!

    Novo, ainda não, mas estou tentando me acostumar com a ideia, já que está decidido, já tem até data e cabeleireira, só não estou muito segura da decisão. Mas tenho motivos: moro em Itaúna, tenho 37 anos. Se já teve gente horrorizada com minha galocha de caveiras, imagina com este cabelo… E, né?, 37 não é o novo 17…

    Mas, penso: meu cabelo está feio e curto. E demora uns 3 anos para ficar lindo e longo. Até lá, estará grisalho, o que significa fios ruins. Eu sempre quis ter um moicano. Meio moicano já é meio sonho realizado. E cabelo cresce. Demora, mas cresce. Pode ser minha última chance de ser estranha sem ser – muito – ridícula.

    Mas, enfim: ei-lo:


s_link('Próximo'); ?>