Sem enrolação, por favor!

A Maguinha costuma dizer que se o “não” já é certo, tente o “sim”. Não custa…

Por isso, na vida, seja direto. Diga o que quer! E aceite o “não” que vir, se vier, sem dramas.

Exemplos práticos?

Quando for pedir demissão, é preferível: “valeu a oportunidade, mas tô puxando o carro” a uma dramática cena, com direito a beicinho, de “preciso tanto lhe falar…ZZZZZZ”. Se a decisão está tomada, vá direto ao ponto, sem perder tempo de ninguém. Se não estiver, vá direto ao ponto, sem perder tempo de ninguém. “Não sei se fico ou se vou… O que você tem a me oferecer?” No máximo, alguém te oferece o pé no traseiro. E, ó só!, definição!!

Da mesma forma, ao pedir aumento, não barganhe, lamurie-se, não conte sua história triste de Tuim, não ameace ir embora, apenas diga: “mereço mais que essa merreca que você está me pagando. Quero aumento!” A Info falou para você nunca pedir aumento. Em vez disso, você deve esperar que o aumento venha com sua dedicação. Eu, como “chefa”, sei que não é bem assim. Se ninguém reclama do salário, ele até aumenta, mas, talvez, não o esperado, não na hora que você quer. E, enquanto “chefa”, se o sujeito vier cheio de mimimis, com papinho brochante do tipo “me ofereceram mais ali na esquina”, vai me dar impaciência e nojo. Chega chegando, dê seu preço. Se rolar, rolou. Se não rolar e estão oferecendo mais, mesmo, ali na esquina, me indica lá também! Mudar de empresa nem sempre é a melhor pedida, caso você goste do seu trabalho, de como trabalha, de onde trabalha. Se o problema é só o salário, lute por ele, mas sem choro, sem barganha, sem mentira. Se você vale o que está pedindo – você vale? – vai dar tudo certo.

Notícia ruim é como arrancar pelo. Quanto mais dó, mais dói. Então, vá na lata: “ainda te quero bem, apenas não te quero mais”. Suave, mas firme. Tenho um amigo que escreveu 4 páginas de amor e afeto para uma moça antes de finalizar com três palavrinhas cruéis, para ela: “mas sou gay”. Ela ficou nervosa, irada, psicótica. Eu havia avisado a ele para começar com “eu sou gay” e finalizar com a doçura toda, mas ele disse que eu não entendo nada de mulheres – como se ser uma não fosse o bastante…

Agora, se a bagaça for pesada, como morte, acidente, doença mais grave ou “seu gato desapareceu enquanto você está na Bahia, longe e distante dele”, aí a pedida é ser sensível, mesmo. Nem que isso signifique dar uma contornada no assunto. Sem entrar de sola, nestes casos, ok?!

De resto… Quer sair com a mina e ela nem te nota? Vá lá e convide. No máximo, ela rirá da sua cara e dirá “aff… Você não se enxerga, não?” E, quer saber? Você se enxerga, sim, e sabe que é o melhor que está tendo. E se ela é quem não enxerga o quanto você é joia, parta logo pra outra. Não comece com esta história de ter pena de si mesmo, vergonha do toco tomado, trauma, lamúria. Ninguém tolera gente fraca! E o tempo está passando, rapaz! Tic-tac. Tic-tac. Tic-tac.  Você não está ficando mais jovem!

O negócio é se acostumar a visualizar sua vida como a “fila da sopa”, de Seinfield. Entre já sabendo o que quer e peça logo. No máximo, você va sair com um “no soup for you!“. Mas se não pegar a fila, não corre o risco de tomar sopinha delícia! O que? Referência muito antiga?! Ah, eu também sou!!

2 ideias sobre “Sem enrolação, por favor!

  1. Sério, eu não sei como não enrolar nessas horas, acho que é a falta de experiência. Sempre que vou sair de uma empresa rola uma tensão louca, eu enrolo para falar, falta coragem, super insegura e acabo deixando para falar no assunto com os Srs. Chefes nos 45 min. do segundo tempo.
    Morro de medo de decepcionar aquele profissional que apostou em mim, pq eu me sentia péssima quando as pessoas me contavam que queriam sair da empresa, quando eu estava no DP.

    Só que quando eu vou falar faço como você disse pro menino gay, faço o inverso, conto primeiro o que é e depois enrolo em lamúrias pq quando pela primeira – e até agora única – vez fui demitida. A menina enrolou até para falar, fiquei super tensa, sem saber do que ela estava falando e quando me disse “você será desligada da empresa” eu pensei “só isso, sério?” pensava em algo pior, pensava que o FBI tinha descoberto algum erro nas minhas notas lançadas, que algum cliente tinha processado a empresa por alguma cláusula no contrato que eu fiz… A fala sério, só isso? Demissão? Não conseguia raciocinar e por isso fiquei aliviada com a demissão!

    • Enrolando ou não, você ou vai decepcionar muito o cara que te escolheu para trabalhar na empresa dele ou vai fazer ele se sentir feliz e aliviado. Não tem meio termo, então, respeite a empresa que te deu essa chance e seja direta e sincera, sem meios termos. E em tempo hábil para eles te substituirem, se for o caso.

      Eu ODEIO demitir. Eu choro junto. Geralmente, é alguém que eu gosto muito, só não está me dando lucro. Aí, pesa o gostar. Mas, como é empresa, tem que pesar o lucro. E, por respeito à pessoa, sou direta. Sem sem grossa – na maioria das vezes, porque há vezes que meu pé sacode de vontade de acertar umas bundas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>