It’s a Shame 2…

E não é que uma das Shame foi descoberta? Pensa que é fácil ser anônima?! , não…

Em homenagem a ela, de quem ainda não consegui ter dó, um comentário que fiz num blog gongado, de uma menina meiga e doce – exatamente por isso, nunca mais voltei nele!! -, que chorou uma pitangada só quando foi injustamente – sem ironia. O post era fofinho – eleita como “post relevante do dia” – aí, sim, rolou toda uma ironia – por ensinar a colar figurinha no caderno.

Entendo seu ponto de vista, mas acredito que uma pessoa que tenha distúrbios ou transtornos ou coisa que o valha e quer usar um blog como válvula de escape, deve fazer um blog privado. Tenho uma amiga que faz assim. É um diário dela, fechado ao público. Porque, caiu na rede, é peixe. Qualquer exposição pode ser usada contra você.

Eu vejo as coisas por um outro ângulo: o que não mata engorda/fortalece. E chacota – e não bullying – não mata qualquer pessoa minimamente inteligente. Muitas vezes a chacota da Shame é pertinente, mostra a falta de noção e de auto-preservação da pessoa que se expõe. Outras, como no seu caso, é maldadinha, mesmo. Mas ou a pessoa aprende e segue com a vida ou ignora e segue com a vida. Não há outra opção.

Pessoas como a Shame são, sim, necessárias na blogosfera. Elas peneiram, eliminam o que não presta, quando abrem os olhos das iludidas – blogueiras ou leitoras. E há muito do que não presta. Não é seu caso: blog bonito, bem escrito. Às vezes, bobinho, mas tem público para isso e você ainda é uma menina! Tem todo o direito de “ser fofa”.

Este tipo de post não abre olhos, mas dá moral para a Shame. E muito. Se estudou psicologia direitinho, sacou que ela se encaixa perfeitamente no perfil do “narciso”. E tem plateia. Ignorar é a melhor solução.

Ainda não mudei de opinião em relação a isso. Mas já deixei de ir ao “Shame on you, blogueira” há bem tempo. É que, de maldadinhas em maldadinhas, vão-se minando os nossos bons sensos e logo a gente se torna uma pessoa excessivamente ácida e crítica. E excessos, você sabe, não fazem bem.

Ódio, desprezo, superioridade, nojinho, sentimentozinhos deste tipo são muito poderosos e, se fazem mal a quem é alvo, fazem mais mal a quem os cultiva. É como o diabinho no ombro, fazendo aflorar o que tentamos esquecer/esconder. E se tentamos esquecer/esconder é porque não é legal, ?!, então, melhor deixar lá, pruma emergência.

Desejo tudo de bom à tal da Pri, porque ela vai precisar. E, se ela quiser um conselho, eu diria para cultivar amor, agora. Porque amar é mais difícil, mas é mais gostoso e traz recompensas. Tente isso em casa você também!

Gordinha

Vai saber por que cargas d’água, há dias em que as pessoas resolvem te pegar pra Cristo. Mas, ó, eu sou míope, mas enxergo fundo. Mesmo. Eu sei seus motivos, eu sei…

E nesses dias, o melhor a fazer é se agradar. Sorvete de doce de leite é bom, por isso o fiz, mas sanduíche de biscoito maizena com recheio de creme crocante Ovomaltine e marsmallow atravessado com chocolate meio-amargo, ambos derretidos, é bom demais!!! Quase me faz esquecer que gostaria de espancar umas pessoas…