Valesca Pensadora

Enquanto eu estive ausente, houve uma onda de #mimimi porque um professor falou que Valesca Popozuda é uma pensadora contemporânea. E não é?

Pelas redes sociais, fico vendo o que as pessoas postam, no que elas acreditam – e, no próximo post, desacreditam – e defendem e concluo: Valesca Popozuda pensa mais e melhor do que muito conhecido meu. Ainda mais num mundo em que mulheres acham que a culpa delas estarem encalhadas é da educação que receberam/sociedade/homens, em que uma pessoa me diz: “tá ruim, mas não troco o certo pelo duvidoso” – pausa para um “oi?!”. Prefere o ruim certo ao duvidoso que não se sabe e, vá lá, pode ser até bom? – ou que as pessoas ameaçam bloquear quem discorde delas, porque, apesar delas vomitarem opinião o tempo todo, elas acreditam que “quanto mais a gente amadurece, mais a opinião dos outros se torna irrelevante”. É, tem disso.

Tem coisa que eu sou capaz e abstrair. Tem coisa que não. E, no fim, “beijinho no ombro pro recalque passar longe” é, de longe, muito mais sabedoria do que a maioria das frases feitas postadas em meme e entre aspas que se vê por aí. E mais: a música/o pensamento da Valesca representa a grande maioria das pessoas que estão online. Pessoas egocêntricas, vaidosas, sexualizadas ao extremo, “invejadas” e criadoras de novos significados – e grafias – para as palavras. Mas, pelo menos, Valesca é bem simpática.

Não culpe Valesca, não culpe o professor. Cada geração produz o pensador que a representa. Esta, produziu Valesca Popozuda. Aceite.

Os 4 Cavaleiros do Novo Apocalipse

Excelente documentário. Recomendo com emoção.

Sinopse:

Vinte e três pensadores de todo o mundo juntaram-se para quebrar o silêncio e explicar como o mundo realmente está concebido. Os seus pontos de vista descrevem, em termos simples, o que é preciso ser feito se não quisermos enfrentar um futuro ainda mais sombrio.

Ok, tem quase 1 hora e meia de vídeo, falando sobre economia e política… Ficou com preguiça? Aí vai o resumo:

chomsky

O que há de errado, meu povo?!

Não assisti a nenhum jogo da Copa. Por que? Porque não.

Não vou dizer que detesto futebol – e detesto -, porque Copa é outra história. Copa é meio que guerra e um tipo de guerra em que o Brasil é bom adversário. A de 1994 foi tão emocionante, tão linda, tão tudo, que tenho a final, em VHS, até hoje. Mas eram outros tempos.

Em 1994, o Brasil estava bem. A hiper-inflação havia acabado de dar adeus, se podia sair às ruas sem medo e não havia muito do que reclamar – por falta de informação, provavelmente.- Sem contar que a seleção não ganhava uma Copa desde 1970 e, pá! Ganhou.

Hoje, tudo é diferente. Muito diferente. Para começo de conversa, a Copa é na nossa casa. Para fim de conversa, nossa economia está f*dida e mal paga. E no meio dessa conversa, você sabe, tem muita treta. A Copa tem servido para anestesiar ânimos e criar clichês. “Meu protesto é nas uras”, para mim, o pior deles. Via fazer o quê? Por fogo na urna?! Eu apóio!

Li um colunista falando que o Brasil já ganhou a Copa, porque está tudo dando certo. Quem compartilhou o texto, acrescentou: “chupa, seus pessimistas!” (sic). A meu ver, o Brasil só perde e mais, a cada dia. Sou pessimista? Então tá, me conta o que deu certo? Natal debaixo d’água? A grana mal gasta? As famílias desabrigadas? Os feriados para que o trânsito flua? Os colombianos buscando abrigo em Rondonópolis, porque agência de turismo credenciada pela FIFA deu cano neles? Assaltos ou tentativas? O pessoal que se propôs a trabalhar de graça ganhando comida estragada? Ou você se esquecendo que o Brasil está em crise porque o Neymar fez gol?

Não estou em clima de Copa. Não quero que o Brasil vença. Quero, sim, nossas merdas sendo espalhadas pelos ventiladores do mundo, porque vergonha na cara é meio caminho andado.

Você tem vergoínha da geral mandando a “presidanta” TNC? F*da-se você! Ela merece. Você merece. Deveria ter vergonha do que nos coloca numa situação dessas. E nem estou falando da Dilma ou do PT, mas de tradição. Somos tradicionalmente deselegantes, mal educados, hipócritas.

Você acha que vaiar o hino chileno é o cúmulo da nossa falta de educação e que isso é um vexame enquanto nação? Sério? Já foi à Disney? Ou a algum outlet em NY? Brasileiro já tem uma fama internacional consolidada de mal educado. Fura fila, fala alto demais, tenta passar a perna, entre outros atributos que generalizam, mas descrevem bem a maioria. Somos, orgulhosamente, mal educados. Nada de macacos, mas idiotas, independente de classe, credo ou cor.

Gregorio Duvivier, aquele fofo, disse que o brasileiro não é problema, mas solução. Mas para ser solução, o brasileiro – que é o problema, sim, e dos piores, porque nem sabe -tem que se propor a mudar. Mas brasileiro é acomodado, se acha esperto, adora falar mal do país, mas só da boca pra fora e sentado no rabo. O tão falado complexo de vira-lata nem sequer existe. Antes fôssemos vira-latas, raçudos, sobreviventes, honestos. Brasileiro se acha. Falta, agora, se encontrar!

Não se engane com meu discurso. Eu amo o Brasil, assim como amo meu pai alcoólatra, supertalentoso, mas inútil e fracassado. Se eu tivesse tido escolha, nem os teria conhecido, mas não tive. Amo meu pai porque é o que tenho. Meu país, idem. Amar não significa aceitar incondicionalmente. Quero que o Brasil mude, que a nação se conscientize e deixe de adiar o inadiável. Do jeitinho que está, vai ruir.

Eu torço, e muito, pelo Brasil da vida real. Para o da Copa, que de dane.

P.S.: me incluo na lama, mas com um atenuante: eu sei no que estou erradando e tento melhorar, todo dia. :-)

Bicharada

Atualizando os causos:

Cristo continua no meu quarto. Já são 6 meses disso. Ele é lindo, cheiroso, carinhoso com humanos, ronronante, bagunceiro na medida. Seria um gato perfeito se fosse filho único. Numa casa com mais 7, ele é um transtorno, porque é agressivo com outros gatos.

Dias atrás, apareceu uma pessoas interessada nele, mas não se abre mão de um amor, assim… Ele não é infeliz, tenho certeza disso.

cristo

Cristo, logo depois do primeiro banho de espuma

Estou tentando achar o Feliway em spray para ver se funciona com minha cambada. O de tomada eu sei que tem na lojinha da 4Patinhas, mas a casa é grande e os gatos se espalham. Talvez spray seja mais eficiente neste caso, não sei…

Toro está supimpa! Um verdadeiro milagre!

Ele foi diagnosticado com babese, falência dos rins e anemia profunda. Além disso, ao contrário do que o picareta que quase o matou havia dito, ainda não estava curado da pneumonia.

O veterinário – o bom – disse que ele só escaparia por milagre. Como já havia feito uma transfusão, o tratamento seria somente na base de remédios e alimentação reforçada. Considerando que ele nem queria comer e estava mais magro do que na foto do outro post

Fizemos o tratamento à risca e alcançamos o milagre! Depois de 20 dias, ele já estava bem melhor. Agora, uns dois meses depois de finalizado o tratamento, ele está maravilhoso! Gordo, feliz e saudável!

Dou muito crédito disso à Nikita, que o acompanhou e infernizou com tanto amor durante todo o tempo.

Aliás, o Toro está tão bem que encarou um porco espinho – perdeu – e sobreviveu.

toro

nikita

Pudim vai fazer 14 anos em dezembro, então, achamos que já havia passado da hora de um check up no velhote. Fizemos uns exames e uns raio-X e ele está bem, apesar de uma hérnia na bacia. Dói, mas está saudável. Rins 100%!

pudimO carcinoma da Gasolina regrediu e não deu mais sinal de vida, ainda bem!

Os outros estão todos ótimos.

 

Catarse

Eu estou pobrinha. Este ano está particularmente complexo. A cidade está empobrecida, muita empresa e loja quebrando e publicidade, por incrível que pareça, é a primeira “despesa” a ser cortada. Diante deste cenário, estou evitando gastos supérfluos.

Estava dando certo até que um amigo anunciou um projeto no Catarse. Um projeto puxou o outro e, de repente, eu estava apoiando 4 – e desejando muito mais dois. Um outro amigo disse que sou mecenas, por sempre apoiar os projetos de artistas. Eu sou é descontrolada, mesmo. Mas… Sei lá… Para quem se importa pouco com pessoas, eu me importo muito com sensibilidades e ver um projeto bacana ser engavetado me dói. Minha contribuição é pelo projeto e, principalmente, pelo autor. E, no fim das contas, em vez de apoiar com o pouco que me cabe, eu apoio com um muito que me excede… O bom é que ainda não me arrependi.

blueQuem resiste a esse olhar?

Se você não é descontrolado(a) como eu, há projetos dos mais diversos no Catarse que valem o investimento. Eu, particularmente, gosto de quadrinhos e indico:

Mas cuidado! Catarse vicia!

 

Querida soja #SQN

Eu juro que tentei, mas soja não desce.

Marido, que diz que apoia meu vegetarianismo, mas não faz nada além de virar os olhos, fazer piada e implicar, disse que sou péssima vegetariana, porque eu não gosto de vegetais.

vegetaisCamiseta fofa que ele comprou…

Se for seguir o lema da campanha “se ama um, porque come o outro?”, não gostar de vegetais é meio caminho andado. Se não gosto, eu como sem dó, sem culpa. Nhé… Não é bem assim. Eu tenho sério problema com cheiro e textura. Vegetais têm texturas engraçadas. Tipo, cenoura é legal. Se ralada, é menos legal. Cozida não é nada legal. Nada.

Enfim, ser vegetariana, para mim, não é fácil porque minhas opções são muito limitadas. Sem leite e derivados, a coisa fica ainda pior. Mas… Como disse alguém, em algum lugar, meu sacrifício é pequeno perto do dos animais-alimento. Então, na minha busca desenfreada por comida – porque sou uma morta de fome e um poço sem fundo -, fui desencavar sites veganos.

Achei o Casa Veg, com preços razoáveis – melhores do que dos outros sites que pesquisei – e opções. Comprei alguns itens para experimentar. O atendimento foi rápido e os produtos vieram embaladinhos e chegaram bem. Recomendo.

vegAchei alfarroba bem ok, acima da expectativa. Bala de agar caiu no quesito textura estranha e não me serve. Os cookies Mãe Terra eu já conhecia e os adoro! Ganhei chocolatinhos! Mas o que eu mais queria experimentar era a salsicha de soja. Tanto, que fiquei com medo da decepção e fui primeiro nas almôndegas. Agora, tenho medo das salsichas…

O cheiro de tofu me embrulha o estômago. Detesto. Apesar disso, dias atrás, comprei uma linguiça de tofu e foi razoável, deu para comer. O cheiro, eu abstraí. Tudo certo. Já a almôndega, mesmo sendo de soja e milho – e, não, de tofu – tem muito cheiro. Muito. Mesmo. Eu simplesmente não consegui lidar. Até experimentei. Mesma textura da linguiça do outro dia, mas o cheiro… Minha esperança é que as salsichas sejam melhores, já que salsicha de lata não vegana é quase tudo soja…

Uma pessoa comentou que os produtos Batavo de soja, da linha Naturis, são gostosos e não lembram em nada produtos de soja. Vou testar. Se não der, soja está fora da minha dieta.

Eu vou ter que me adaptar a comer verduras e aprender a fazer pratos veganos saborosos, sem imitações de carne. Por enquanto, é a única saída. Se não der, volto pra BH. Há restaurantes, lanchonetes e entregas de marmitex veganos, por lá, que me fazem salivar toda vez que postam no FB! Há esperança. Sempre.

Ressurreição

Atendendo a emocionados pedidos, estou de volta. Sim, foram vários pedidos, vindo de um só pessoa: eu. Sendo ultra antissocial – and beyondde acordo com o Buzzfeed29 em 30 -, o Facebook é muito e pouco para mim.

O Facebook é limitado, porque é cheio de pessoas limitadas, que ofender-se-ão com qualquer coisinha, mesmo que de nenhum modo esteja relacionada a elas. Ou que darão palpites intermináveis sobre qualquer coisa, o que é por demais cansativo e, pior, me faz perceber que estou cercada por idiotas. Não necessariamente meus “amigos”, a quem eu, de certo modo, posso controlar – bloqueando atualizações! -, mas os incontroláveis amigos dos amigos. Esse meu povo tem aceitado qualquer pessoa para engrossar os números e satisfazer o ego, só pode.

Em conclusão, há inúmeros assuntos sobre os quais eu gostaria de palpitar, mas não tenho com quem/onde. Por isso, voltei.

Nem tudo é ruim na rede social para uma pessoa antissocial – tô falado só de mim.- Conheci pessoas interessantes, oriundas deste blog – algumas, que sequer comentavam aqui, mas que “falam” bastante e são muito bacanas – e da prática ao amor pelos seres viventes. Protetores/veganos/vegetarianos se caçam na rede, se encontram e se unem. Tô dentro!

Falando nisso, meu protovegetarianismo está quase completando 1 ano, sem maiores sacrifícios. E está tão tranquilinho, que decidi dar o próximo passo e deixar os laticínios de lado. Não vou morrer sem pão de queijo – e evito que morram pelo meu pão de queijo.- Ainda como os ovos, sem sofrimento e sem crueldade, das minhas penosas… Ovos são controversos – como os mamilos – e ganharão um post só deles, em breve.

Ah! O layout do blog mudou por acidente. Fui atualizar o WordPress e, inadvertidamente, atualizei o tema, o que me fez perder as mudanças que havíamos feito. Esse que entrou está em estado provisório, esperando eu conseguir uma boa alma que me coloque o Feed de volta e ajeite esta fonte, que é fina demais para mim.

Seja bem-vindo(a) a este blog e sinta-se livre para dar pitacos. Sempre com muita educação, por favor, porque, de mal educada, já basta a Pi.