Sobre a escrita

Poxa… Quase um mês sem aparecer por aqui e nem fez falta pra ninguém! Nem pra mim!

Eu tinha até um bocado de coisas a dizer, tipo: O Vilarejo é um livrinho infantil e tolo, repleto de chichês (7 pecados capitais. Jura?) e escrito com ligeireza e superficialidade, quase preguiça. Se eu tivesse uns 16 anos, talvez gostasse, porque tem figuras (!!), mas como fui lê-lo aos 41, acreditando (nem tanto) nas críticas que diziam que Raphael Montes era o Stephen King brasileiro, tive uma tremenda decepção. Stephen cria personagens cativantes, aos quais a gente se apega. Raphael cita personagens que vão morrer dali a pouco e ninguém vai dar falta. Mas confesso que o final da “luxúria” até me surpreendeu. Não, o Raphael não é exatamente ruim, só não é digno de ser comparado ao King.

Motivada por livros mal escritos, resolvi voltar a escrever. Sem pretensões, talvez, mas, a princípio, como um exercício de criatividade. E é surpreendente como as histórias fluem, como se não me pertencessem. Ao contrário, eu pertenço a elas e elas me usam para prendê-las numa página do Text Edit. Me prometi escrever uma por dia (escrevo contos curtos. Já postei uns aqui, em estorinhas) ou, pelo menos, todo dia, mas não rolou. Está muito calor e comprei um tabletzinho para leitura (Lev, da Saraiva), que é uma pequena porcaria que trava muito e me irrita, mas é relativamente barato, leve e mais confortável que o laptop. Ou seja, às vezes, eu começo a ler e não tenho tempo nem para meus contos.

E se não me sobra tempo para escrever o que me dá prazer, imagina para vir aqui dar pitacos neste mundo chatinho? Ou contar sobre a segunda cirurgia no tornozelo (realizada em 08 de setembro, correu bem, mas não adiantou muita coisa em relação ao movimento. Em resumo: ainda manco)? E que o Doutor, diante disso, quer tentar mais uma vez, daqui a uns 4 meses, tirar o restante dos pinos e, se necessário, alongar meu tendão de Aquiles cirurgicamente (aparentemente, ele é o problema)? E que vou começar a fazer hidroginástica totalmente contra minha vontade, somente para a felicidade do Doutor – é sério. Ele disse que ficou muito feliz com a notícia! -? Porque, meu bem, nada muito interessante ou digno de nota tem acontecido. Então, vamos todos nos poupar de blá blá blá, né?!

Se alguém se interessar pelos meus continhos, depois eu conto onde encontrá-los. E quando algo que não seja uma tremenda perda de tempo minha e sua ocorrer, eu retorno às atividades pitaqueiras.

Beijo e não me deixe só!! 😀