Crazy Cat Lady

Comecei a reparar que existe uma certa torcida para que eu me apaixone pelo Dr. Bonitão. Ou que, pelo menos, a gente se agarre e role na relva ou coisa que o valha. Imagino que isso seria uma espécie de recompensa pela perna quebrada. Como se o meu acidente não tivesse acontecido em vão, mas fosse uma bela e dolorosa manobra do destino para me trazer o amor. Sem desdenhar, mas passo.

Já superei a fase de me apaixonar pelo meu ideal projetado na outra pessoa. É fria. Não suportaria que o príncipe encantado das minhas fantasias confirmasse, via Facebook, que comparecerá ao show “Sorriso Eu Gosto”. Seria muito desgosto. E, bem, considerando que nem sei de o Dr. é casado, solteiro ou “tico-tico no fubá” (expressão maravilhosamente terrível!), não tenho base para iniciar nosso relacionamento de sonho! É sério mesmo, vai que ele seja solteiro, mas adore Sorriso Maroto?! Ou pior! Que ele tenha nascido em Itaúna odeie gatos!!! 😮

Por essas e outras, apesar da torcida cada vez maior, continuaremos com nossa relação estritamente profissional. Não brincaremos de médico! Levaremos o assunto muito a sério, com exceção dos pequenos charminhos jogados de um lado e outro durante as consultas, só para descontrair.

Agradeço a você, caro(a) amigo(a), que torce por mim, mas já me acostumei com a ideia de ser um “crazy cat lady” e já tenho, inclusive, o roupão que pretendo usar para arrastar pantufas em casa, enquanto grito com os gatos!! 😉

crazy_cat_lady_action_figure_1

5 anos de Pitacos

Há 5 anos, eu resolvi fazer disto aqui meu diário. Eu detestava a vida que eu levava e tentava me adaptar, me encaixar. Deixei aflorar uma dose de futilidade libertadora e escrevi abobrinhas à beça. Torrei dinheiro com maquiagens e esmaltes, que doei para outras pessoas, em sandálias com as quais eu não conseguia andar e me cansei. E, cansada, parei de comprar, comecei a falar de coisas mais sérias, aderi ao vegetarianismo e acumulei gatos. E me cansei um pouco mais.

Há um ano, eu cansei até desistir. Mas cansei de estar cansada e percebi que este blog é minha muleta e que preciso dele para seguir gosto de tê-lo por perto. Há tempos, não me preocupo se alguém me lê, mas adoro as pessoas que conheci aqui e que fazem parte, mesmo que ligeiramente, da minha vida. Hoje em dia, não me importo se “meus inimigos” me lêem, porque não devo nada a ninguém e não tenho nenhum constrangimento de ser quem sou. Então…

Pitacos chegou aos 5 anos. Eu, aos 41. E estamos aqui, mesmo nas ausências.

ISS_5188_00747

Feminina, plural e capa!

Deve ser a quarta vez que venho aqui dizer que ADORO o Feminino Plural, festa que premia mulheres que são destaque na sociedade de Itaúna e arredores. Acho chique, acho luxo, acho tudo!!

E como eu sou chique, luxo e tudo!, este ano a homenageada mor fui eu!! Com direito a capa e matéria na Revista Foco!, a Caras de Itaúna.

A festa foi no sábado passado, mas como eu bebi muito – tipo, três tacinhas -, não dei conta de viver no domingo para contar… E como nunca é tarde para ser bem-agradecida e egocêntrica, cá estou eu!

Para a revista, o Gabriel Junior veio me entrevistar. Puxa, como eu falo! E como eu dou voltas enquanto falo. Que coisa mais confusa é ser entrevistada! Daí, com a bobajada que eu falei, o Gabriel escreveu um texto superfofo, enaltecedor e gracinha, ou seja, nada a ver comigo. Atrevida – e nada fofa – que sou, reescrevi.

Para as fotos, Beth Mendes – a boutique e a mulher – me emprestou roupinhas. Jabazinho básico, mas muitíssimo necessário, pois onde já se viu uma diva de calça jeans gasta e camiseta engraçadinha em capa de revista?! Pois é. Fiquei à altura da ocasião.

Marido me fotografou – e me xingou muito – e saíram umas fotos aproveitáveis – com bastante Photoshop, claro! – enquanto eu ia ficando cada vez mais descabelada e desconjuntada.

magazine-mockup

Para a festa, comprei um macacão lindo na Beth e pintei as pontas do cabelo de roxo, em homenagem ao Luiz Parreiras – que, por acaso, usa o cabelo azul muito antes de ser moda! Como sempre, me diverti muito! A festa foi ótima! Bebida e comida boa, gente bonita. O único inconveniente é ficar sendo fotografada. Papparazzi…

cabeloFoto tão estourada que até parece que fui colorizada! Mas é o que temos, não reclame.

Feliz aniversário para mim

Então… Graças à tecnologia, me livrei dos incômodos telefonemas de aniversário e recebi mensagens de “felicidades”. Mas, enquanto até gente que não me conhece – mas é meu amigo em FB. Pois é, eu também sou dessas – me desejava “tudo de bom”, eu fiz de tudo para não realizar nenhum dos votos. “Saúde” e “felicidade” foram os primeiros a serem derrubados.

Primeiro, acordei com enxaqueca. Das completas, com direito a náuseas e tudo mais. Depois, comecei a empolar. Alergia, de novo? Pois não é que a pessoa, aqui, me resolve ter uma urticária – completa, com direito a angioedema nos olhos – assim, sem quê nem porquê?! Eu mesma! Essa pessoa…

39 anos. Sem festa, sem bolo – no dia seguinte, a Katz me fez o melhor bolo de laranja da vida!! -, sem jantarzinho especial, sem Absolut Tune, sem alegria, sem o pombo que o Will me trouxe – ele conseguiu escapar, obrigada!

Mas, enfim… Obrigada àqueles que se manifestaram de coração, aos que só fizeram por “obrigação”, aos que não se sentiram em obrigação de desejar nada – e não desejaram -, aos que até desejaram, mas ficaram com preguiça de mostrar. Ano que vem tem mais e prometo ser uma menina mais boazinha – comigo.

Presentes!!

Os Correios tardam, falham, mas não foi desta vez que fui roubada. Meus presentes chegaram!! E bem a tempo do aniversário do Pitacos!

Para quem não sabe, hoje, o blog faz dois aninhos! Pensei em fazer um longo post sobre as dores, as delícias e os amigos, mas hoje é sábado 14. Pior que sexta 13. E estou com preguiça!! Aê!!

Então, sintam-se agradecidos pelo carinho, apoio, sugestões, broncas ou, simplesmente, por passarem por aqui. Valeu!!

 

Aniversário

Há coisas que nunca entrarão em nenhuma wishlist, porque são manifestações tão espontâneas que a gente não deseja de antemão, mas se surpreende, se emociona, ama e nem espera repeteco para não estragar o gosto da primeira vez.

Levei uns bolos de aniversário. Mas o que seria de aniversário sem bolo?! Eu fico constrangida por quem dá bolo, porque acho tão indelicado, ainda mais em aniversário. E, ainda mais, porque não fiz festa. Só chamei uma dúzia de amigos de BH para matar saudade.

Um dos convidados foi meu meio-irmão, com quem costumo trocar umas ideias, on line, mas que não conhecia pessoalmente. Eu não costumo lidar bem com situações novas, como conhecer pessoas, mas foi tão natural. Gostei dele. Adorei o presente que ele me deu que, de tão minha cara, parecia que eu havia escolhido!! Aliás, adorei TODOS os presentes: os comprados, os feitos à mão, os encomendados – que não chegaram a tempo – e os dedicados. Adorei todas as presenças. Achei tudo lindo!!

Cheguei aos 38 emocionada! Recebendo manifestações de afeto, via FB, de gente que eu admiro e amo, mesmo sem conhecer, e de pessoas que ainda valem a pena lembrar que existem. Recebendo um “comentário” mais lindo do mundo e incentivador, aqui no blog. Recebendo vídeo fofíssimo da minha afilhada linda e bochechuda!! Recebi tanto que quero doar! Quero distribuir afeto!! E para pessoas, veja só!

Então, sinta-se amado(a), porque hoje eu sou só amor!!

d-e-s-e-s-p-e-r-o

Antes e mais nada, muito obrigada pelo carinho, se não por mim, pela Vaca. Valeram demais os comentários e as visitas de despedida…

***

Passei o reveillon em família, na casa da prima. Foi bem divertido. Às vezes, tudo o que a gente precisa é de tempo e espaço para começar a enxergar a família com outros olhos. Afinal, esse povo louco foi minha primeira referência de mundo e devo muito a eles. E foi muito bom voltar a estar com eles.

Depois de comer em exagero, tipo, ofensivamente em excesso, voltei para casa sonolenta, gorda e preguiçosa. E, surpresa, surpresa! Os gatos botaram a casa a baixo! Que desespero!

Dia 3, a vida volta ao normal, a agência abre, eu trabalho. Então, tenho amanhã para fazer tudo o que eu não fiz nos últimos 10 dias e mais! Que deus tenha piedade de minha alma…