RSS Feed

Categoria: ‘recomendo’

  1. Na contra-mão

    19 de janeiro de 2014

    No fim do ano passado, numa crise aguda de consumismo, comprei uma máquina de pão. Melhor compra da vida!

    E, enquanto o mundo conspira contra o pobre glúten, cá estou eu, na contra-mão do gluten-free, gritando free gluten!!

    paozeira

    pao


  2. Eu queria ficar no FIQ

    15 de novembro de 2013

    fiqFIQ!

    A Internet é uma terra mágica que nos conecta a todos. E colher os frutos desta conexão é o que há!

    Adoro as tiras do Coala. Adoro o trabalho dele, mas adorei, acima de tudo, conhecê-lo pessoalmente. Pensa: eu, um quadradinho numa rede social, ser reconhecida pelo outro quadradinho. Mas, não qualquer quadradinho! Um quadradinho que eu admiro! “Você tem um gato cinza!”

    Sr. e Sra. Coala são as duas pessoas mais fofas, simpáticas e cute-cute da vida! Eu e marido ficamos conversando com eles como se fôssemos melhores amigos! E eu me senti simpática! Eu! Simpática!!

    familia-coalaMarido, Sr. Coala, eu – fotogenia, a gente se vê por aí… – e Sra. Coala. casalmaislindodedeuscutecutejatocomsaudades

    Queria poder ir a FIQ todos os dias - termina domingo – só para continuar fazendo de conta que eles são realmente meus amigos! Queria ter um apartamento no Guarujá só para pegar elevador com o Coala em dia de chuva!!

    O estande da Webcomix foi meu paraíso pessoal. Comprei bastante, lá. E viciei nesse negócio de pegar autógrafo em livros. Desenhista desenha no autógrafo!! Como não amar?! Mas apesar de ser o estande do Carlos Ruasídolo mor, pelo que percebemos – , Guilherme Bandeira, Marcos Noel, Digo Freitas, além do Coala, não foi o único paraíso que encontramos!

    01

    02Comprinhas… E minha bolsa de galinha, um sucesso!!

    autografosAutógrafos!!

    Marido nadou de braçada no estande The White Russian Society. Parecia menino pequeno com os livros dos irmãos Gabriel Bá e Fábio Moon e do Gustavo Duarteuma simpatia! – nas mãos, pedindo autógrafo! Eu gostei mesmo foi do Murilo Martins! Achei os livros muito criativos e comprei I’m a German Shepherd com muita alegria no coração!

    wrs-fiq2013

    No Balão Editorial, fiz a festa! Comprei todos os livros do Estevão Ribeiro que haviam lá, além da pelúcia do Héctor! Viciada, fui atrás do meu autógrafo!

    Estevão é meu amigo de Facebook, e é tão meu amigo, que nem perguntou meu nome na hora do autógrafo. E lá se foi com “Para Beatriz”.

    beatrizMeu nome é Patrícia, mas poderia ser Beatriz!

    Gafe?! Que nada! Morremos de rir! Somos amigos o suficiente para não nos importarmos com bobagem e ele se saiu bem: “melhor errar seu nome do que o da minha mulher!” Concordei, claro!

    Gafe, quem cometeu fui eu. Duas!

    Depois de mais de uma hora procurando pelo Orlandeli, fui atrás do Vitor Cafaggi para saber se ele sabia onde o cara estava. Sabia! Enfim, alguém sabia! Porque o negócio foi sério: ninguém no FIQ, seja organização, produção ou voluntário, NINGUÉM conseguia me dizer se ele estava num estande ou numa das inúmeras mesas. Mas ele e o Vitor são amigos e, aleluia, mesa 25.

    Chegando lá, soltei: “Orlandeli, você precisa ficar famoso, porque ninguém sabe quem é você”. Simpática, né?! Fofa! Brilhei infinitamente! E só me dei conta do quando eu fui escrota quando eu cheguei em casa!

    Se algo justifica tamanha falta de noção, é a própria falta de noção, em si. A Internet aproxima e a gente se sente realmente próximo, íntimo a ponto de fazer comentário idiota sem achar que isso pode ofender. Eu, falando com um cara que nunca me viu mais gorda, como se ele fosse tão meu amigo que me perdoasse pelas minhas indiscrições…

    A gafe 2? Com o próprio Vitor. Ele foi meu colega de faculdade e foi sócio do meu marido, na primeira agência dele. E o cara é meu amigo - distante, vá lá, mas, pelo menos, a gente se conhece em carne e osso há mais de dez anos.

    Encontrei com ele algumas vezes, fui atrás dele para me localizar outro autor e simplesmente me esqueci de comprar o livro dele. Eu queria? Sim! Valente é fofo! Fui ao estande para isso, duas vezes, mas ele estava com uma fila imensa de autógrafos e eu não quis esperar. Pensei em voltar depois e… Esqueci do caso! Sou um monstro!!

    Justifico que eu estava inebriada de HQ! Não estava com minhas faculdades mentais em plena função! Tanto que, hoje, acordei com ressaca.

    Arrependimentos? Claro: voltei para casa sem Valente por Opção, com vergonha do Orlandeli, sem ter conhecido o Laerte – que, ao que parece, só vai no domingo - e com a capacidade só minha de ficar horrorosa em todas as fotos! Mas me diverti a valer e, daqui a dois anos, tô batendo ponto lá, novamente.

    Este FIQ acontece na Serraria Souza Pinto, em BH, até domingo, dia 17. Se estiver por perto, vá! A entrada é gratuita e os livros são muito baratos! Ah! Estacione direitinho, porque a polícia não poupou multas!


  3. God – Keep being awesome!

    9 de novembro de 2013

    Encontrei Deus no Facebook. É uma página de humor, mas não é baixo nível, é de muito bom gosto! Não fica de zoeira com as fés evangélicas, como se costuma fazer no Brasil, mas fala de fé de forma leve e divertida. Para começar, a descrição da página:

    “Às vezes a verdade não é boa o suficiente. Às vezes as pessoas merecem mais. Às vezes as pessoas merecem ter sua fé recompensada.”

    A ideia é ótima, mas corria-se o risco de ser mal executada. Não o é. E Ele me ganhou com posts como estes:

    1456008_562761213811586_36591696_nTer fome não é pecado. Demonizar os pobres, é.

    531918_562282733859434_990526358_n

    HUMANO – Oi, “Deus”, eu tenho uma pergunta. Você acha que se gay é pecado? Recentemente, andei questionando minha sexualidade e descobri que eu amo homens. E eu sei que nasci assim. Mas há tantos cristãos cheios de ódio hoje em dia, como os “Westboro Baptist Church” que tentam e me me deixam mal. Eu me sinto sozinho e mal, agora… E, bem, eu sinto que preciso de uma pessoas para conversar. O que eu faço? :-(

    GOD – Não é um pecado de forma alguma. O maior pecado é tentar viver sua vida para se encaixar no conceito estreito de alguém que não se importa se você é feliz ou não.

    Você tem uma vida curta. Você tem que ser verdadeiro com você mesmo e encontrar o amor que se seja o certo para você.

    Oh, e os “Westboro Baptist Church” são um bando de lunáticos. Sério. Eles têm problemas mentais. Não deixe que nada daquilo que eles acreditam afete você nem um segundo da sua vida. Continue sendo incrível!

    Este é um Deus que aquece o coração e mantém minha – pouquíssima – fé na humanidade viva!

    E eu digo “Amém!”


  4. Não contém glúten

    7 de abril de 2013

    Quando vi esta receita no Pinterest, duvidei. Isso não é possível! Como assim, um bolo sem farinha e sem fermento?! Mas marido falou: FAZ! E fiz.

    20130324-DSC_0951

    Maravilhosa!

    Para quem quiser fazer, eis a receita, traduzida:

    BOLO DE CHOCOLATE SEM FARINHA

    Ingredientes:

    200g de chocolate de boa qualidade - usei meio amargo, da Garoto
    80g de manteiga - e um pouco mais para untar a forma
    4 ovos separados
    Pitada de sal
    50g de açúcar (1/3 xícara)
    1 raspas de laranja (opcional)
    2 colheres (sopa) Grand Marnier – licor de laranja (opcional) - eu usei conhaque, mesmo!

    Creme:
    250ml de creme de leite gelado sem soro
    1 colher (sopa) de açúcar

    Sorvete (opcional)
    Frutas vermelhas frescas

    Modo de Preparo:

    Aqueça o forno a 180C.
    Derreta o chocolate e a manteiga em uma tigela em banho-maria, mexendo de vez em quando. Vai demorar 2-4 minutos para o chocolate e a manteiga derreterem.
    Nota: certifique-se que a água não está fervendo ao colocar a tigela com o chocolate, pois o chocolate pode cozinhar.
    Enquanto o chocolate e a manteiga estão derretendo, unte com manteiga uma forma de +/_ 18 cm e reserve.
    Uma vez que o chocolate derreteu, retire a tigela da água fervente e misture o açúcar.
    Em seguida, misture as gemas, uma de cada vez.
    Por último, acrescente as raspas e Grand Marnier, se estiver usando.
    Bata as claras com uma pitada de sal em picos firmes.
    Misture delicadamente as claras batidas na massa de chocolate, começando com ⅓ de claras para diluir a massa e, em seguida, delicadamente, adicione o resto. Não mexa demais.
    Despeje tudo na forma e asse por 25-30 minutos.
    Uma vez assado, deixe-o descansar 5-10 minutos antes de servir.

    Creme:

    Para fazer o creme batido perfeito, certifique-se não apenas de usar creme de leite muito frio - direto da geladeira - como, se possível, esfriar a tigela antes de bater. Você pode colocá-la por 10 minutos no congelador.
    Bata o creme com o açúcar até formar picos firmes.

    Sirva o bolo com sorvete de baunilha e/ou creme batido e frutas vermelhas.

    Nota 1: se servir com creme batido no topo, verifique se o bolo esfriou completamente, caso contrário, você vai acabar com um xarope.

    Nota 2: se você quiser fazer o bolo um dia antes, eu sugiro que você embrulhe-o bem, mas não coloque na geladeira, pois vai afetar a textura.

     


  5. A Torre Negra

    2 de março de 2013

    Tantos posts para escrever… Uma lista de coisas para eu comentar e não consigo… Tempo?! Também. Mas a obsessão pela Torre Negra me consome. Enquanto não conseguir chegar ao fim, não tem assunto que me prenda mais do que os erros de continuidade ou as expressões idiomáticas usadas nos livros. E Oi! Eu quero um Oi!!

    towerbeam

    A série A Torre Negra não é o melhor do Stephen King, mas é ousado, criativo, brilhante e obcecante! Recomendo com paixão!

    P.S.: para quem não gosta muito de ler – e tem que gostar, pois são 7 livros bem grandes! -, há A Torre Negra em quadrinhos.


  6. Requentando receitas: Cheesecake da Nigella

    15 de janeiro de 2013

    Antes de mais nada, um esclarecimento: eu não tiro foto de comida.

    1. Porque não sei fazer comida fotogênica. Cozinho bem, mas não cozinho bonito. Se você é do tipo que come com os olhos, não coma minha comida! Ela é de se comer com a boca, mesmo!

    2. Enfarei (ou me cansei, pros não-iniciados) de redes sociais repletas de comidas lindas, que ninguém nunca comeu – Pinterest – ou comidinhas pão com ovo, que ninguém nunca quer comer – Instagram. Deixo foto de comida pros outros!

    Certinho?

    Então, refiz os cookies de chocolate da caixinha de natal (Brownie Cookies). Segui tudo certinho, com calma, fui no conversor de medidas e descobri que 3 xícaras de lascas de chocolate são 540g e me dei conta que, da outra vez, eu errei, mesmo, porque, agora, ficou igual à foto. Veja:

    cookiesPagando língua, tirei fotinha!! Ha-ha!!

    A massa é meio molenga e esparrama, mas ele cresce, por causa do fermento. Então, não faça montinhos grandes e deixe espaço entre eles!

    Daí, usei os cookies delícia para forrar minha forma desmontável e segui a receita do creme do Chocolate Lime Cheescake da Nigella! Como os cookies estavam macios e fresquinhos, nem usei a manteiga. Parti em pedaços, forrei a assadeira, apertei bem e pus no congelador enquanto fazia o creme.

    Cuidado com o limão! Não coloque todo o suco sem experimentar, para não correr o risco de ficar ácido demais. O meu quase passou da conta! Mas deu tudo certo e ficou muito muito bom! Recomendo fortemente as duas receitas! Ainda mais que sobra cookie!! E digo mais, Chocooky me perdeu pra sempre, amém!

    E para quem fica de mimimi, dizendo que é difícil, não é não! Doce é Química! Se você não sabe fazer os balanceamentos, não emprovise! Siga a receita à risca que não tem como errar! A bombada em Química, aqui, garante!


  7. Convite

    11 de novembro de 2012

    Caros, dia 28 de novembro, acontece, em Ondina, Salvador, Bahia, a 3ª Mostra de Moda da UNIME e vocês estão convidados:

    O Unifashion LAB, realizado pela UNIME e produzido pelos alunos do quarto semestre do curso de Design de Moda desta instituição, é um evento híbrido, sem fins lucrativos, que congrega mostra de trabalhos acadêmicos e diversas atividades, como palestras, oficinas, performances, entre outras, a fim de se configurar num local de compartilhamento de informações e de construção de conhecimento, otimizando e potencializando o aprendizado.

    Na sua primeira edição, traz a Pele como eixo temático. A pele como elemento construtor de identidades, que adere e repele, que percebe o mundo, o estranha e reage. O que está em contato com o avesso migra para a superfície, se expondo na pele e sobre a pele. Assim como a roupa, a pele reveste e comunica ao mesmo tempo. Esse tema alimentará todas as atividades dessa edição: palestra seguida de mesa redonda, desfile-performance e exposição de trabalhos.

    Para enriquecer esse laboratório de criação acadêmica, as artes performáticas, em especial, a dança, dialogam com a moda num jogo de inversão de papéis, onde a performance se cria a partir do figurino. O ponto de partida é o visível, a superfície, a pele (traje) com sua identidade visual. O performer aceita o desafio de criar em cena uma “identidade cinética” para o traje, dando-lhe existência enquanto figurino e complementando a construção do personagem iniciada pelo designer.

    Com palestrantes de:
    Sérgio Sobreira Araujo
    Carol Diniz
    e um bailarino da companhia de dança Deborah Colker.


    A entrada é franca e não precisa nem de convite nem de inscrição. Para maiores informações: http://unifashionlab.blogspot.com.br/
    unifashionlab@gmail.com


  8. Domingo é dia de panqueca!

    16 de setembro de 2012

    Para você, que vive dizendo que o fim de semana promete, mas nunca cumpre, eu tenho a solução. Dedique um tempinho da sua manhã de domingo para fazer panquecas. As da Mari são sensacionais!

    Dá um pouquinho de trabalho, mas valem a pena. Você pode comê-las com manteiga, geleia, creme de avelã ou de Ovomaltine, maple syrup – recomendo! – e até com bacon e ovos. Delícia!! Fiz, hoje, e até a Panqueca comeu!

    Depois disso, você pode brigar com o marido/namorado, ser rejeitada pelo seu cachorro, pisar em xixi de gato, topar com o dedinho na quina que nada disso irá estragar seu dia!

    Panquecas no café da manhã são certeza de domingo feliz!

     


  9. “I wanna to go back to Bahia”

    25 de agosto de 2012

    Tirei férias, depois de dois anos enfurnada em casa. Férias curtas, mais curtas do que feriado prolongado na agência, mas foram ótimas, belíssimas, inesquecíveis.

    O meu lugar feliz fica na Bahia. Mais precisamente, na Peníunsula de Maraú. Nesta época do ano, em que chove e, oxe, faz até frio na Bahia, o lugar é do tipo “nada pra fazer” e fazer nada é meu hobby. Amo muito!!

    Caminhar na praia enquanto a chuva não vem, esbarrar em dois ou três turistas, brincar com a cadelinha do dono do bar, comer, comer muito e comer bem! Depois, enquanto cai o dilúvio, balançar na rede, pensando na vida e tocando os pernilongos. Perfeito!

    Tem alguma coisa praquelas bandas do mundo que me atrai e me faz bem. Ok, que depois de viajar à noite pra BH, para, às 4 da madruga, partir pra Confins – eta aeroporto longe, sô -, pegar um voo pra Salvador, esperar três horas pela conexão, voar pra Ilhéus, pegar um táxi pra rodoviária, pegar ônibus pra Itacaré e pegar carona pra Península de Maraú… Eu cheguei mareadinha. Vomitei até dizer que chega. E um pouco mais além…

    Mas dê só uma olhada na rodovia que nos leva à Barra Grande:

    Isso é uma BR. A 030… Chacoalha, chacoalha, chacoalha…

    Valeu a pena? Of course! Mesmo com chuva, o lugar é lindo. E, graças à chuva, estava duma tranquilidade sem fim.

    Já fui em alta temporada – reveillon -, em média – outubro – e, agora, em baixa e é sempre bom.

    Conhecendo as pessoas certas, a vida social na região é intensa. Sempre tem festa, sempre tem alguma comemoração. Socializo mais numa aldeia com 150 habitantes do que numa cidade com 85 mil. Porque as pessoas são mais interessantes, lá. Quem optou por viver ali sabe o que é bom. São pessoas bem sucedidas que se cansaram da agitação, do trânsito, do consumo desenfreado, do culto à aparência. São alegres, inteligentes e cultas.

    Os nativos são simpáticos e tranquilos.

    Os hippies… Hippies de 2012 são um saco em qualquer lugar. Dispenso.

    Abandonei o vício em café quase sem dor. Tomei muito suco de fruta daquela terra e adorei cada um – cacau, eu te amo. Comi peixinhos quase sem sentir dó. Observei as vidinhas correndo e nadando pelos corais. Fui ao mangue. Corri atrás dum coelho branco e cheguei à melhor doceria da península: Vovó Zezé! Recomendo muito a cocada com cacau!!

    Minha pele ficou boa, lisa. Meu cabelo ficou macio. Minhas unhas não lascaram. Meu humor era sempre bom. Que lugar!

    Luna, a cachorrinha dos chilenos do Ponta do Mutá

    Ponta do Mutá

    Pousadinha delícia.

    Taipu de Fora na maré baixa. Coqueiro, vítima da maré cheia.

    Água turva… Chuvas…

    Vidinha!

    Cansou de peixe? Tem pizza, lasanha, macarronada! Não cansou? Tem tudo isso também com peixe e frutos do mar!

    Na volta pra casa, passamos por Ilhéus. Outra cidade bacana. Compramos chocolates – com direito a foto ridícula -, almoçamos no Bataclan, da Maria Machadão, e tomamos sorvete de frutas nativas!!

    Toda vez que volto a Minas, vindo de lá, só consigo pensar naquela musiquinha que diz:

    “I don’t to wanna stay here/I wanna to go back to Bahia”. Inglês falho, mas mensagem correta! Um dia, ainda fico por lá.

    E voltando a Minas:

    Ah, Minas Gerais… Quem te conhece sente falta do mar.

    Agradecimentos especiais a Tia Lili, Tio Lulu, Dr. Samuel e Patricia. Graças a vocês, essa viagem foi maravilhosa!


  10. Gordinha

    3 de julho de 2012

    Vai saber por que cargas d’água, há dias em que as pessoas resolvem te pegar pra Cristo. Mas, ó, eu sou míope, mas enxergo fundo. Mesmo. Eu sei seus motivos, eu sei…

    E nesses dias, o melhor a fazer é se agradar. Sorvete de doce de leite é bom, por isso o fiz, mas sanduíche de biscoito maizena com recheio de creme crocante Ovomaltine e marsmallow atravessado com chocolate meio-amargo, ambos derretidos, é bom demais!!! Quase me faz esquecer que gostaria de espancar umas pessoas…


s_link('Próximo'); ?>